Bullying, mais um modismo?

Bullying é uma palavra de origem inglesa, adotada em muitos países para definir o desejo consciente e deliberado de maltratar ou ridicularizar outras pessoas e colocá-la sob tensão, é um termo que conceitua os comportamentos agressivos e anti-sociais. Sendo assim, a definição de bullying é compreendida por um conjunto de atitudes agressivas, intencionais e repetitivas que ocorrem sem motivação evidente, adotado por um ou mais indivíduos contra outro(s), causando dor, angústia e sofrimento.

O que caracteriza o bullying

Insultos, imitações, apelidos cruéis, gozações que magoam profundamente, acusações injustas, atuação de grupos que hostilizam, ridicularizam e infernizam a vida de outras pessoas levando-as a exclusão, além de dados físicos, morais e materiais são algumas das manifestações do comportamento bullying.

Conseqências do comportamento bullying

As conseqências do comportamento bullying afetam todos os envolvidos e em todos os níveis, porém especialmente a vítima que pode continuar a sofrer seus efeitos negativos muito além do período de sua atividade. Pode trazer prejuízos em suas relações de trabalho, em sua futura constituição familiar e criação de filhos, além de acarretar prejuízos para sua saúde física e mental. Deste modo, o fenômeno bullying afeta diretamente a formação psicológica, emocional e social-educacional do indivíduo que é vitimizado por este fenômeno. Sua ação maléfica traumatiza o psiquismo de suas vítimas produzindo pessoas estressadas, deprimidas, com baixa auto-estima, capacidade de auto-afirmação e resistência a frustração, reduzida capacidade de auto-afirmação e de auto-expressão além de proporcionar o desenvolvimento de sintomatologias de estresse, de doenças psicossomáticas, d transtornos mentais e psicopatologias graves.
A superação dos traumas causados pelo fenômeno poderá ou não ocorrer, dependendo das características individuais de cada vítima, bem como da sua habilidade de se relacionar consigo mesma, com o meio social e, sobretudo com a família.

O que fazer para evitar o comportamento bullying

Não basta medidas inibidoras da ação violenta, é necessário educar para que a ação violenta dê lugar a ação construtiva. A idéia é de que a escola deve facilitar aos indivíduos o conhecimento e a reflexão sobre a existência do fenômeno bullying e suas conseqências na sua própria realidade, isto é, que os indivíduos aprendam quais são as atitudes que favorecem o desenvolvimento do comportamento bullying e como evitá-lo, transformando seu ambiente num ambiente pacífico que estimule o bom relacionamento social. Acredita-se que esse conhecimento despertará nos indivíduos sua consciência crítica e transformação.

Leonardo R.

Analista de TI, graduado em Internet e Redes de Computadores, apaixonado por tecnologia, música e viagens. Mountain biker por hobby, e jogador de Xbox One e alguns jogos da Blizzard nas horas vagas. Também curte fotografia, filmes, séries e web em geral.

  • Oto

    Leo, não sei se esse tal "bulling" é modismo ou não… agora deixa um fdp desse vir brincar comigo! Dou-lhe um "pé na venta" e vai brincar com a mãe! Hauauaua… No mínimo mais um modismo americano! Os caras são retardados mesmo!

  • Ótima matéria, obrigado por esclarecer minha dúvida.
    Um problema que aos olhos de muitos não passa de inofensivo, mais com grandes consequências futuras.