Regras flexíveis para registro de domínio

Icann (Corporação para os Nomes e Números Atribuídos na Internet), entidade controladora da rede, aprovou regras flexíveis para o registro de sites.

Palavras como nomes de países poderão substituir o tradicional ‘.com’ na web.
A agência controladora da internet aprovou nesta quinta (26) regras mais flexíveis para o registro de endereços na web. A medida, que só deve surtir efeito a partir de 2009, possibilita que milhares de novos domínios sejam registrados em alternativa ao “.com”, endereço mais comum em 25 anos de controle da rede.

A medida deve mudar radicalmente a maneira de navegar na internet e tem conseqência profundas para empresas e consumidores.
As novas extensões podem facilitar a criação de endereços mais fáceis de lembrar – já que a maioria dos nomes e marcas está registrada com a terminação “.com”. Os novos nomes podem incluir localidades, como “.brasil”, ou estabelecimentos comerciais, como “.banco”.
A Icann aprovou as novas normas por unanimidade em reunião em Paris (França), com a presença de 1.500 representantes de 70 países. O órgão anunciou que não vai analisar casos específicos por enquanto.

Mudanças

A Icann ainda precisa definir detalhes, como as taxas para obtenção dos novos domínios. Estima-se que o registro de cada nova extensão, que pode ser desde um nome de país até os polêmicos “.sexo” ou “.xxx”, vá custar cerca de US$ 100 mil para ajudar a entidade a cobrir um custo de mais de US$ 20 milhões.

O site de leilões eBay é uma das companhias que defende um domínio próprio. Cidades como Berlim e Nova York podem se beneficiar, respectivamente, com endereços terminados em “.berlim” e “.nyc”.

O conselho também aprovou a criação de domínios baseados em alfabetos como o cirílico e o chinês, contemplando o crescente número de internautas que não tem o inglês como língua nativa.

Longa negociação

A entidade controladora da internet aceitou ofertas por novos nomes em 2000 e 2004. Mas as análises levaram muito tempo e, até hoje, apenas treze propostas discutidas nessas negociações foram aprovadas.

Em outra ação, a Icann aprovou as recomendações de um modelo de “aluguel” de domínio, que permite o uso de endereços por um período de testes de até cinco dias. Dessa forma, uma empresa poderá testar se determinado endereço chama ou não a atenção dos internautas.

Leonardo R.

Analista de TI, graduado em Internet e Redes de Computadores, apaixonado por tecnologia, música e viagens. Mountain biker por hobby, e jogador de Xbox One e alguns jogos da Blizzard nas horas vagas. Também curte fotografia, filmes, séries e web em geral.